Camila Fremder

Nasci em São Paulo, mais precisamente no dia 18 de novembro de 1981. Sou formada em propaganda e marketing e pós-graduada em roteiro para TV e cinema.

Nunca achei que fosse virar escritora, mas tudo começou em 2007 quando resolvi fazer um blog de crônicas e criei o “Parece filme, mas é vida mesmo…”. Em 2009 tive a surpresa de ter seis textos meus publicados em um livro que lançava novos autores, chamado Prólogo#1, foi aí que peguei gosto pela coisa até que o “Parece filme, mas é vida mesmo…” virou livro em 2011.

Nesse meio tempo comecei a desenvolver conteúdo para empresas, revistas, sites e blogs, além de roteiros para diversas produtoras. Pois é, também nunca achei que fosse virar roteirista.

Já escrevi para muitas revistas femininas, como TPM, Harpers Bazaar e Glamour, onde tive uma coluna por 4 anos.

No final de 2013, em parceria com a amiga Jana Rosa, lancei o livro “Como ter uma vida normal sendo louca” e depois em 2015 o livro “Enfim, 30”.

Adoro o que faço e nesse site você pode acompanhar meus textos, novos trabalhos e um pouco do que me inspira.

 

  • Jornal Meio e Mensagem

    Jornal Meio e Mensagem

    Março de 2014

    Entrevista para o Iba

    Entrevista para o Iba

    Janeiro de 2014

  • Entrevista no Jô Soares

    Entrevista no Jô Soares

    Dezembro de 2013

    Programa Fátima Bernardes

    Programa Fátima Bernardes

    Dezembro de 2013

  • O Globo

    O Globo

    Dezembro de2013

    Revista Veja SP

    Revista Veja SP

    Novembro 2013

Anterior Próximo

E-mail – camila.fremder@gmail.com

Camila Fremder

Sobre o Medium

Postado por

Fiz um perfil no Medium não faz muito tempo e nunca me senti tão atrasada. Como é que eu demorei tanto para entrar lá? (Se você não faz a menor ideia do que estou falando, clica aqui e depois volte para esse texto)

Lembro de ter lido sobre o Medium anos atrás, mas o papo é que era uma rede fechada, que pessoas como o Leonardo Dicaprio e Bono Vox teriam perfis, e depois eu devo ter me distraído com o Snapchat e o Periscope e só acordei agora.

Pra quem escreve textos como eu, lá é o paraíso, primeiro porque o layout é super clean, segundo porque postar é a coisa mais fácil do mundo, e terceiro porque os melhores textos estão lá, então você entra e navega (a gente ainda usa esse termo?) por lá e é impossível você não ter ideias para novos textos, crônicas, matérias, etc…

Se você não escreve, mas ama ler, faça o seu perfil do mesmo jeito. Logo no começo você escolhe as tags que quer seguir e conforme você vai lendo os textos que foram recomendados para você, você acaba descobrindo novos autores e a coisa só melhora. Você pode recomendar os textos que você mais gostou e dessa forma eles atingem mais pessoas.

Li que existe a possibilidade de migrar seu blog/site (sim, wordpress) para lá, não sei o tamanho da encrenca ainda, mas provavelmente você precise da ajuda de um programador. Ainda estou lendo sobre o assunto, mas como não ganho dinheiro com esse site, estou cogitando fazer essa mudança, se você já leu mais sobre o assunto do que eu, ou já fez essa migração, por favor, me diz o que você acha? Sei que esse site não tem comentários – o wordpress dá tanto problema que eu achei mais fácil excluir – mas podemos conversas nos comentários da minha página do Facebook, no Twitter ou no próprio Medium.

Já postei dois textos lá, um mais como teste e outro sobre o Documentário Cowspiracy.

Captura de Tela 2015-10-16 às 11.48.08