Camila Fremder

Nasci em São Paulo, mais precisamente no dia 18 de novembro de 1981. Sou formada em propaganda e marketing e pós-graduada em roteiro para TV e cinema.

Nunca achei que fosse virar escritora, mas tudo começou em 2007 quando resolvi fazer um blog de crônicas e criei o “Parece filme, mas é vida mesmo…”. Em 2009 tive a surpresa de ter seis textos meus publicados em um livro que lançava novos autores, chamado Prólogo#1, foi aí que peguei gosto pela coisa até que o “Parece filme, mas é vida mesmo…” virou livro em 2011.

Nesse meio tempo comecei a desenvolver conteúdo para empresas, revistas, sites e blogs, além de roteiros para diversas produtoras. Pois é, também nunca achei que fosse virar roteirista.

Já escrevi para muitas revistas femininas, como TPM, Harpers Bazaar e Glamour, onde tive uma coluna por 4 anos.

No final de 2013, em parceria com a amiga Jana Rosa, lancei o livro “Como ter uma vida normal sendo louca” e depois em 2015 o livro “Enfim, 30”.

Adoro o que faço e nesse site você pode acompanhar meus textos, novos trabalhos e um pouco do que me inspira.

 

  • Jornal Meio e Mensagem

    Jornal Meio e Mensagem

    Março de 2014

    Entrevista para o Iba

    Entrevista para o Iba

    Janeiro de 2014

  • Entrevista no Jô Soares

    Entrevista no Jô Soares

    Dezembro de 2013

    Programa Fátima Bernardes

    Programa Fátima Bernardes

    Dezembro de 2013

  • O Globo

    O Globo

    Dezembro de2013

    Revista Veja SP

    Revista Veja SP

    Novembro 2013

Anterior Próximo

E-mail – camila.fremder@gmail.com

Camila Fremder

Machu Picchu – Vogue Eyewear

Postado por

Machu Picchu foi de longe o lugar mais diferente que eu já visitei. Além do visual fantástico, você realmente sente a energia do local, e olha que eu nem sou o tipo de pessoa que acende incenso em casa, toma banho de sal grosso e fala que fulano tem energia pesada. Mas lá você sente mesmo uma força, uma sensação de paz absurda, uma coisa inexplicável, comprei até uns incensos pra acender em casa, sabe como é que é, tem gente que tem a energia meio pesada…

Subimos uma boa parte a pé e confesso que sem mascar umas folhas de coca seria impossível, a dor de cabeça atrapalha, a falta de ar também, mas é só chegar no topo e ver aquele visual que você esquece tudo.

No terceiro episódio da nossa webserie que você confere abaixo, dá pra sacar bem o que eu tô falando. Acende o seu incenso e dá play: