Camila Fremder

Nasci em São Paulo, mais precisamente no dia 18 de novembro de 1981. Sou formada em propaganda e marketing e pós-graduada em roteiro para TV e cinema.

Nunca achei que fosse virar escritora, mas tudo começou em 2007 quando resolvi fazer um blog de crônicas e criei o “Parece filme, mas é vida mesmo…”. Em 2009 tive a surpresa de ter seis textos meus publicados em um livro que lançava novos autores, chamado Prólogo#1, foi aí que peguei gosto pela coisa até que o “Parece filme, mas é vida mesmo…” virou livro em 2011.

Nesse meio tempo comecei a desenvolver conteúdo para empresas, revistas, sites e blogs, além de roteiros para diversas produtoras. Pois é, também nunca achei que fosse virar roteirista.

Já escrevi para muitas revistas femininas, como TPM, Harpers Bazaar e Glamour, onde tive uma coluna por 4 anos.

No final de 2013, em parceria com a amiga Jana Rosa, lancei o livro “Como ter uma vida normal sendo louca” e depois em 2015 o livro “Enfim, 30”.

Adoro o que faço e nesse site você pode acompanhar meus textos, novos trabalhos e um pouco do que me inspira.

 

  • Jornal Meio e Mensagem

    Jornal Meio e Mensagem

    Março de 2014

    Entrevista para o Iba

    Entrevista para o Iba

    Janeiro de 2014

  • Entrevista no Jô Soares

    Entrevista no Jô Soares

    Dezembro de 2013

    Programa Fátima Bernardes

    Programa Fátima Bernardes

    Dezembro de 2013

  • O Globo

    O Globo

    Dezembro de2013

    Revista Veja SP

    Revista Veja SP

    Novembro 2013

Anterior Próximo

E-mail – camila.fremder@gmail.com

Camila Fremder

A VERDADE POR TRÁS DAS FESTAS SURPRESAS

Postado por

Desculpa, mas eu não consigo acreditar em nenhuma cara de surpresa nas festas surpresas de aniversário. Por mais que role aquela encenação do, “Gente, eu não fazia ideia, o Paulo falou que era só a gente no jantar!” ou “Eu bem que achei que era o carro da Vanessa na porta, mas como eu não sabia a placa…”. Vocês não estavam surpresos, eu sei disso, podem confessar, não tem problema.

Eu mesma sempre soube, afinal de contas era meu aniversário, totalmente normal passar pela minha cabeça que um dos meus amigos poderia mandar um e-mail com o título – “Festa Surpresa Camila” atrapalhando a vida de tantos outros amigos que precisariam estar num lugar X até às 20hrs. E como isso é chato, né? E pra quem mora em SP então? Já não é demais eu concordar em sair de casa pra dar parabéns pra essa pessoa que eu nem sei se tá a fim de ganhar uma festa, você ainda me pede pra chegar 8 da noite?

Festa surpresa só é surpresa no dia errado e de preferencia com desconhecidos. Já pensou chegar na sua casa 3 meses antes do seu aniversário, abrir a porta e dar de cara com umas 20 pessoas estranhas cantando parabéns? E se essas 20 pessoas nem falarem a sua língua, já pensou que surpreendente? Só isso pode ser classificado como uma festa surpresa, o resto é armação.

BOLO